LOGOMARCA PRÊMIOS ATITUDE SUSTENTÁVEL CO

Finalistas

ORGULHO LGBTQIA+

 

CARLOS TUFVESSON
Coordenador Executivo da Diversidade Sexual - Prefeitura do Rio

Carlos Tufvesson_edited.jpg

Carlos Tufvesson é um estilista brasileiro especializado em vestidos de festa. É filho da também estilista Glorinha Pires Rebelo. Estudou moda na Itália, na Domus Academy, em Milão e na Universidade Cândido Mendes do Rio de Janeiro. Em 2000, abriu um espaço em Ipanema, que dividiu em loja e ateliê.

Em 2001, lançou a primeira coleção Prêt-à-porter, na Semana Barra Shopping, evento precursor do Fashion Rio. Em 2004 estreou na São Paulo Fashion Week.

Desde o ano de 2011 é coordenador da Coordenadoria Especial de Diversidade Sexual da cidade do Rio de Janeiro. (CEDS-Rio). No mesmo ano foi assunto nacional ao casar em pomposa cerimônia realizada no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro com o arquiteto gaúcho André Piva.

THIAGO ARAÚJO

Thiago Arapujo.jpg

Do site ‘Pheeno’ aos bares na capital carioca - passando pela bem-sucedida carreira de DJ, organizador de festas e eventos, até chegar na criação da produtora homônima ao portal na internet -, Thiago está há 11 anos trabalhando como foco total na cultura e consumo da comunidade LGBTQIA+

 

Thiago Araújo nunca quis ter um emprego. Logo que terminou a faculdade de Comunicação Social na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em 2009, ele colocou em prática o plano de se tornar empresário. Começou fazendo assessoria de imprensa, tinha alguns clientes fixos e a ajuda de um estagiário, seu primeiro colaborador. Em 2010 ele lançou o site ‘Pheeno’, com conteúdo focado na cultura LGBTQIA+. Foi assim que nasceu uma marca que hoje é consolidada e atua em diversos segmentos dentro da indústria do entretenimento. Mas esse é só o início da história.
Pode-se dizer que Thiago Araújo, jornalista carioca de 34 anos, fez o caminho inverso dos negócios.

 

Ao contrário da grande maioria das empresas que hoje focam no virtual para crescer e se aproximar dos seus clientes, Thiago foi do virtual para o real. Com mais de 1 milhão de páginas visitadas por mês, o ‘Pheeno’ começou em uma época quando falar da comunidade LGBTQIA+ não era algo legal,

 

Thiago conta que já recebeu muito ódio online, mas que aprendeu a lidar com isso, mesmo porque, por outro lado, ele recebe diversas mensagens de apoio ao trabalho que faz. No momento, financeiramente falando, o site trabalha para prospectar anunciantes. O app de relacionamento gay ‘Blued’ é um dos grandes patrocinadores do portal atualmente e, este ano, a Beats divulgou uma ação de Dia dos Namorados no ‘Pheeno’.

 

Thiago saiu um pouco do digital e foi investir na carreira de DJ, profissão que deu muito certo e mantém até hoje. De DJ, o jornalista começou a promover festas e, das festas, vieram os bares. Com o público LGBTQIA+ estabelecido e fiel do site, o empresário viu a oportunidade de investir em uma outra ramificação de entretenimento para a comunidade: os bares gays no estilo bar-balada, com cardápio de drinks e comidas, música e espaço para dançar, formato que já era bastante comum nos Estados Unidos, mas que não existia no Rio de Janeiro. “Se já estão fazendo, eu penso em outro caminho”, afirma o empresário que está sempre em busca de inovação.

 

Em 2019 foi inaugurado o ‘Pink Flamingo’, um espaço onde o cliente pode sentar, tomar um drink, comer e dançar em uma pista de dança onde há sempre uma playlist incrível sendo tocada ao comando de um DJ. O espaço foi sucesso imediato, casa cheia todas as noites e com um retorno financeiro que logo cobriu o investimento e começou a dar lucro. Então, em outubro de 2020, Thiago inaugurou o segundo estabelecimento, o ‘Black Cat’, no mesmo formato, mas com alguns serviços a mais. O lugar possui um clima de lounge, com sofás espalhados, e um grande diferencial: uma dark room no segundo andar. O ‘Black Cat’ ultrapassou todas as expectativas apresentando ótimos resultados, de público e faturamento, o que levou à inauguração de um terceiro espaço, em maio deste ano, 2021, o ‘QG’. Nessa nova opção da noite gay carioca acontecem festas temáticas, como a do karaokê, além disso, o cardápio de comidas do 'QG' é mais robusto, lá o cliente pode chegar mais cedo, jantar e depois estender a noite na pista de dança. “O faturamento anual supera os 3 milhões de reais”, afirma Thiago sobre os dois primeiros bares, ‘Pink Flamingo’ e ‘Black Cat’, ambos também localizados na capital carioca. Sobre o retorno financeiro do novo bar, o ‘QG’, o empresário traz boas notícias e é otimista: “Desde o primeiro mês o custo de operação é pago só com o faturamento, mas espero que o lucro chegue ainda em 2021!”, diz Thiago que, mesmo com os bares funcionando em capacidade reduzida devido à pandemia, teve “casa cheia” em todas as noites que abriram, nos 3 espaços.

 

Claro que Thiago Araújo não ia parar por aí. Em paralelo aos bares, a produção de conteúdo online para o site e redes sociais continua e, no segundo semestre de 2020, foi inaugurado o ‘Estúdio Pheenos’, um espaço com infraestrutura capaz de gerar mais conteúdo LGBTQIA+, e de forma ainda mais profissional. “O estúdio é uma incubadora de projetos, produzimos e desenvolvemos vários programas. Tudo é exclusivo e focado na comunidade LGBTQIA+”, conta Thiago. Aberto com o intuito de servir como uma extensão do ‘Pheenos’, o estúdio, localizado em Copacabana, também começou a ser procurado por empresas que querem alugar o espaço e sua estrutura de equipamentos e cenários para produzir os próprios conteúdos. No mês, o estúdio é locado de 5 a 6 vezes, uma outra forma de monetizar o espaço.

 

Profissionalmente, Thiago quer mais. Na pandemia, o faturamento principal vem dos bares, mas ele acredita que, quando passarmos por esse período, a produtora será o carro chefe de tudo: “O objetivo é se tornar a maior produtora de conteúdo LGBTQIA+ da América Latina. Queremos produzir para outros meios e veículos de comunicação, para o streaming, TV a cabo, ou mesmo ter o próprio canal por assinatura”, revela Thiago o plano ambicioso, e afirma: “Estamos prontos como sociedade para isso e estamos [a ‘Pheeno’] prontos para entregar isso.”

 

Empregando 35 colaboradores CLT e outros vários pontuais, ao todo são por volta de 100 pessoas atualmente trabalhando para as diversas frentes de negócios: online, bares, estúdio e produtora. O empresário fala com orgulho que 70% da equipe é formada por pessoas LGBTQIA+ e que 100% do elenco artístico, DJs, Drags e outros, são também parte da comunidade. “Vamos continuar celebrando a diversidade”, diz Thiago, e afirma que ser LGBTQIA+ já coloca a pessoa interessada em fazer parte da equipe de colaboradores da empresa um passo à frente. O empresário fala que, de uma maneira geral, as dificuldades da comunidade continuam as mesmas, “mostrar que existimos e fazemos parte da sociedade como todo mundo”, mas que agora as pessoas estão mais conscientes e que “o diferente é legal”.

NANDA COSTA E LAN LANH

Nanda Costa e Lan_edited.jpg

Juntas a seis anos a atriz Nanda Costa e a percussionista Lan Lahn fazem da visibilidade ponte para falar de direitos, luta e amor LGBTQIA+.


Representatividade importante da atualidade, o casal inspira outras mulheres a assumirem seus relacionamentos e lutarem por seus direitos.


Com pouquíssima representação positiva e realista na TV aberta, por exemplo, as pessoas continuam com pouca ou nenhuma referência de famílias não heteronormativas.  O que torna tão importante a visibilidade desta família.


Durante a gestação, o casal realizou o projeto “Duas Mães – Live!”, com o objetivo de falar de dupla maternidade e do orgulho lésbico. As lives abordaram direitos já adquiridos, mas que ainda enfrentam despreparo e preconceito pela frente.


Nanda Costa e Lan Lahn entendem a importância da representatividade do que vivem e o poder que isso tem de encorajar e inspirar pessoas.